CONTROLE DO IMPULSO

Impulsos influenciam o comportamento. Eles são fruto de sentimentos e sensações e a sua ocorrência em si é normal, mesmo quando se trata dos impulsos tidos como “menos nobres”. Eles só se tornam um problema quando não há controle suficiente para dosá-los. É preciso elaborar sua expressão de modo a produzir um comportamento socialmente adequado. A ausência de um bom controle interno impede a pessoa de adiar sua necessidade de gratificação (ela quer obter aquilo que deseja imediatamente) e de raciocinar com clareza, levando-a a reagir praticando atos inaceitáveis socialmente, com grande risco de prejuízos para si mesma e para os outros. Do descontrole surgem distúrbios e transtornos que tendem a se instalar, como a mentira, a cleptomania, o distúrbio do comportamento agressivo, distúrbios alimentares e outros comportamentos autodestrutivos. A terapia busca a origem do desequilíbrio, ajudando a pessoa a desenvolver o controle sobre seus próprios impulsos, bem como a prever e lidar com futuras situações de risco.

© 2016 | Mariuza Pregnolato - Todos os direitos reservados | Lei do Direito Autoral
A reprodução total ou parcial do conteúdo desta página é permitida sem autorização prévia por escrito da autora
(copyright) para fins educacionais ou informativos, desde que a fonte seja corretamente citada.